Polícia acaba com festa do PCC na zona Leste de São Paulo

No início da madrugada desta terça-feira, investigadores da 2ª Delegacia de Roubos a Bancosdo Deic - Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado -, sob o comando do delegado Ruy Ferraz Fontes, acabaram com uma festa atribuída à facção criminosa PCC (Primeiro Comando daCapital), que ocorria em uma casa na Rua Irene Lopes Herédia, nº 266, uma travessa na altura do nº 12.000 da Avenida Sapopemba, no Jardim Sapopemba, zona Leste da capital paulista.No local, pelo menos 100 pessoas, várias delassupostamente ligadas ao PCC, participavam de uma festa, com churrasco e piscina, em comemoração aos ataques ocorridos à Polícia do Estado de São Paulo desde o dia 1º deste mês.O Deic teve de providenciar três ônibus para transportar todos os detidos até o Departamento, na Avenida Zachi Narchi, em Santana, zona Norte da cidade. Todos serão averiguados pela polícia, terão as fichas criminais pesquisadas; e os queestiverem sendo procurados pela justiça serão presos."Quando os policiais chegaram no local foram recebidos a tiros de fuzil. Muitos suspeitos correram e fugiram. A casa possui mais de 1000metros quadrados. Havia até uma cascata no imóvel", relatou o diretor do Deic, Godofredo Bittencourt.Segundo a Secretaria de Segurança de SP, asinvestigações sobre festas que vinham sendo promovidas pelo PCC corriam há um mês. Antes do estouro deste galpão, a Polícia de SP já havia prendido 25 pessoas acusadas de atacar viaturas e bases da PM; além delegacias. Seis dos 45 ataques já foram solucionados. "Apreendemos armas e drogas com os que participavam da festa. É lógico que muitos deles serão liberados, pois muita gente é apenas parente dos bandidos", acrescentou o diretor do Deic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.