Polícia acha bonecos nazistas na casa de bacharel de Direito preso no Rio

João Marcos Aguiar Godim Crespo, de 26 anos, foi preso nesta terça acusado de 'injúria racial'

Marcelo Auler, O Estado de S. Paulo

28 de dezembro de 2010 | 19h47

RIO - Na casa do bacharel de Direito e estudante de Educação Física João Marcos Aguiar Godim Crespo, de 26 anos, preso nesta terça-feira, 28, sob a acusação de "injúria racial", policiais civis da 14ª Delegacia (Leblon), encontraram bonecos de soldados nazistas e a miniatura do ditador Adolph Hitler em um carro conversível. Também foram apreendidos um computador e um notebook utilizados pelo jovem para acessar as redes sociais onde ele dava vazão aos seus preconceitos e injúrias.

 

Nestes sites de relacionamentos os policiais que atuam no programa Delegacias de Dedicação Integral ao Cidadão (DEDIC) recolheram comentários postados em nome de Godim Crespo com ideias típicas nazistas, como a defesa da eugenia: "Graças a Deus, em pouco tempo estarei longe dessa gentalha e dessa cafonice. Deus nos livre dessas pragas cafonas, nós, pessoas de bem, que nascemos bem, que tivemos educação e uma ótima genética. Viva a eugenia!"

 

Morador da valorizada Rua Negreiros Lobato, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona Sul do Rio, ele ultimamente vinha tecendo fortes críticas a moradores de bairros distantes da cidade que fazem da visita à árvore de natal no centro da Lagoa um passeio típico de final de ano.

 

"É impressionante o mau-humor e a inveja de pessoas que moram mal pra ..., onde tudo é feio, essas mesmas pessoas devem achar um grande programa visitar a árvore de natal da Lagoa, que fica apenas 1 min da minha casa e que eu nunca perdi nem 10 segundos olhando para a mesma", dizia uma postagem recolhida pela polícia.

 

Os policiais, segundo informaram, receberam, de usuários de um site de relacionamentos, denúncias anônimas sobre o comportamento do estudante. Caso venha a ser condenado, Crespo estará sujeito a pena de dois a cinco anos de reclusão.

Tudo o que sabemos sobre:
Rioneonazismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.