Polícia acha que Dudu não está mais na favela sob cerco

A polícia admitiu hoje que o traficante Eduíno Eustáquio de Araújo Filho, o Dudu, pode ter deixado o Complexo do Alemão. No quinto dia do cerco da Polícia Civil ao bandido que tentou invadir a Rocinha na Sexta-Feira Santa, o subchefe de Polícia Civil, delegado José Renato Torres, disse que a polícia permanece no conjunto de favelas da zona norte do Rio porque esse teria sido o primeiro abrigo do traficante e ainda é o seu paradeiro mais provável. No entanto, a polícia investiga informações de que ele esteja em outras favelas. ?Para a polícia, pouco importa se ele está dentro do complexo ou fora. Temos uma equipe de cem homens checando todas as outras favelas em que existem informações do paradeiro dele. A polícia estará atrás dele aqui ou em qualquer lugar?, afirmou Torres. O delegado não quis dizer que outras favelas estão na mira da polícia, mas explicou que o bandido pode conseguir esconderijo em qualquer local ligado à facção criminosa dele, o Comando Vermelho.Os policiais realizaram hoje novas operações no Complexo do Alemão, principalmente na localidade conhecida como Vila Cruzeiro mas não encontrou Dudu. Um homem que teria servido de guia para o traficante dirigindo uma van foi detido, mas liberado depois de prestar depoimento. O trabalho da polícia é parecido com o desafio de encontrar uma agulha num palheiro. A geografia do extenso complexo de 11 favelas é um dos principais obstáculos e por isso mesmo a polícia acredita que Dudu permanece no Alemão. Torres afirmou que o cerco ao conjunto de favelas vai continuar porque está dando certo. ?Estamos desestruturando o Comando Vermelho no Alemão?, disse o delegado, que estima em R$ 200 mil o prejuízo sofrido pelos traficantes nesta semana. Desde o início da operação, 60 pessoas foram detidas e 31 homens ligados a Dudu foram presos. Pelo menos 18 quilos de cocaína foram apreendidos, além de armas e munição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.