Polícia acha que morte de Chediak foi vingança

O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB), disse nesta segunda-feira que a polícia acha que há grande possibilidade de a morte do produtor cultural Almir Chediak ter sido crime de vingança. Segundo Garotinho, não houve subtração de objetos.Chediak foi pego com a companheira e levado para uma estrada, onde ela foi liberada, e ele, alvejado por tiros. "Não roubaram nada. É típico de crime de vingança", afirmou.Ainda segundo o secretário, não há características de assalto e seqüestro. Ele não quis, no entanto, adiantar nada sobre investigações ou prazo para conclusão dos trabalhos da polícia nesse caso.Com relação ao ministro Luiz Fux, do Superior Tribunal de Justiça, assaltado neste fim de semana no Rio, Garotinho disse que foi preso um dos líderes, de nome "Filipinho", de uma quadrilha de jovens de classe média que roubava para comprar drogas.De Brasília, onde participa de reunião da executiva do PSB, Garotinho disse que, desde que assumiu a Secretaria, há 28 dias, esta é a terceira quadrilha de jovens de classe média a ser desbaratada pela polícia. Sobre as mais recentes imagens do crime na UniversidadeEstácio de Sá, onde uma jovem foi atingida por um tiro, Garotinho disse que não se trata de novas imagens, mas que a TV Globo fez uma computação gráfica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.