Polícia acredita que irmã de Pedrinho tem duas certidões de nascimento

A polícia não tem dúvidas de que Roberta Jamilly Martins Borges, irmão adotiva de Osvaldo BorgesJúnior, o Pedrinho, tem outra certidão de nascimento, provavelmente emitida no interiorde Goiás.Roberta foi registrada como filha de Osvaldo, pai adotivo do menino, 16 anos depoisde seu nascimento, em março de 1981, mediante autorização judicial.Na semana passada, a tia de Roberta, Guiomar Costa, afirmou que ela foi obtida por Vilma Martins da Costa da mesma forma que Pedrinho. Ou seja, Roberta também poderia ter sidoseqüestrada.?O registro atual dela é legal e teve autorização judicial para ser expedido, mesmo não sendo apresentado o certificado de nascimento do hospital. Mas ela deve ter tido outroregistro?, afirmou o delegado titular da Delegacia Estadual de Investigações Criminais(Deic), Antônio Gonçalves Pereira dos Santos. ?Estamos investigando este caso desdeque Guiomar fez a denúncia?, disse Santos.O principal ponto da investigação da polícia, além da suspeita de que Roberta foiadotada ou seqüestrada, é saber a razão pela qual a família decidiu fazer um novo registro para ela, em 1997.?Pela lógica, ela teria outro registro, já que a família é esclarecida, a Roberta estudava e tirou seus documentos normalmente?, deduz Santos.Desde que a polícia do Distrito Federal declarou que Vilma realmente era a seqüestradora de Pedrinho, a Deic em Goiânia recebeu mais de 30 denúncias contra a mãe adotiva do menino, mas todas elas estão sendo avaliadas com cautela.?Temos que fazer uma peneira, principalmente porque a maior parte das pessoas que estãoligando evita dar nomes e endereços. Temos que investigar, mas com seriedade?,afirma o delegado.E foi a semelhança de orelhas a principal pista que levou a estudante Gabriela AzeredoBorges a descobrir que Osvaldo Júnior era Pedrinho, o bebê seqüestrado em Brasília.Pela primeira vez Gabriela se expôs e confessou que partiu dela a investigação sobre oadolescente. Gabriela é neta do pai adotivo de Pedrinho. Ela é filha de Jorge Borges, filhomais velho de Osvaldo, que morreu de câncer há quase dois meses.Gabriela disse que fez a comparação de Pedrinho com as fotos existentes no SOSCriança. A partir daí, começou a reparar em algumas características do rapaz, de quemera amigo.A estudante fez diversos contatos com os coordenadores do SOS e, alémda semelhança da orelha, descobriu, durante uma conversa, que Vilma havia ligado astrompas há 20 anos.Vilma foi avisada que estava sendo investigada justamente no dia em que Pedrinho ficou detido em uma delegacia, depois de ter sido preso fazendomanobras perigosas com o carro da mãe adotiva, apesar de ser menor de idade.

Agencia Estado,

21 de novembro de 2002 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.