Polícia acusa namorada de suíço de ser o cérebro do crime

Regina da Silva, de 30 anos, está presa desde ontem à noite, acusada de ter planejado o assassinato do professor suíço Reto Franz Ullmann, de 56 anos, com quem namorava havia cinco anos. Depois de ser torturado, Ullmann caiu do sétimo andar do apartamento onde morava, no Leme, zona sul, na semana passada. Segundo a polícia, Regina teve como cúmplices a menor J.B.S., de 17 anos, e Renato Fernandes Pereira, de 23, para roubar US$ 16.700 que o professor tinha trazido de uma viagem à Suíça dois dias antes do crime. J.B.S. também está presa e Pereira continua foragido. ?Está claro que a Regina foi a mandante. O Rafael sabia da existência do cofre e foi ela quem forneceu todos os dados?, disse a delegada Monique Vidal, da 12ª DP (Copacabana). Segundo ela, Ullmann foi torturado porque não queria dar o dinheiro, que seria proveniente de uma pensão recebida pelo professor. ?A versão deles (criminosos) é que o suíço se jogou. A nossa é que ele foi atirado pela janela?, afirmou a delegada. Sem demonstrar arrependimento, a menor J.B.S. confessou que torturou Ullmann. ?Fomos para pegar o dinheiro, mas ele reagiu, mordeu minha mão. Então, dei várias facadas?, contou a jovem, que tem um filha de três anos e disse que recebeu U$$ 500 dólares para roubá-lo. Já a manicure Regina, que não estava no apartamento na hora do assassinato, nega participação no crime. ?Ele era tudo naminha vida. Eu não sabia que o Rafael ia para assaltar, não contei nada. Fui a maior prejudicada?, lamentou ela, que também tem um filho de sete anos, cujas despesas eram pagas por Ullmann. Além das aulas particulares de inglês e alemão, o suíço tinha uma sociedade com uma empresa de táxi para aumentar a renda. Segundo a polícia, Regina namorava também Pereira, que esteve preso por roubo e tráfico de drogas e foi solto ano passado.?Como o suíço colocava anúncios das aulas no jornal, o Rafael ligou para ele na quarta-feira (16 de junho, dia do crime),marcando uma aula para as seis horas da tarde e disse que queria aprender alemão porque ia trabalhar num hotel.? Os dois teriam se encontrado horas antes num bar do Leme para acertar os detalhes. Ullmann morreu entre 18h10 e 19h25, horário em que ficou registrado no circuito interno de TV do prédio a entrada e a saída do casal do apartamento. J.B.S e Pereira aparecem nitidamente nas imagens.Além do dinheiro, os criminosos roubaram de Ullmann máquinas fotográficas e laptops. Segundo a polícia, Regina e Rafaelresponderão pelo crime de latrocínio, considerado hediondo. J.B.S. ficará no Instituto de menores Padre Severino e responderá por ato infracional análogo a latrocínio.No fim da manhã, policiais da 12ª DP receberam a informação de que Pereira estaria escondido no Morro São João, na zonanorte. Quando os policiais chegaram, o bandido já tinha fugido. Na casa, foram encontrados 200g de maconha. O consulado da Suíça informou que o corpo de Ullmann continua no embalsamado no Brasil e, só após os trâmites legais, deve ir para a Suíça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.