Polícia ambiental apreende 5t de palmito

Durante uma operação que durou 24 horas, a Polícia Ambiental do Estado de São Paulo (antiga Polícia Flotestal) apreendeu cerca de 5 toneladas de palmito in natura. A operação, que durou por toda a terça-feira na grande São Paulo e no Vale do Ribeira, combate a extração irregular de palmitos e a comercialização clandestina do produto.Em Itapecerica da Serra, duas pessoas foram presas à beira de um matagal, com 3 toneladas de palmito, já amarrados, e prontos para serem distribuídos e vendidos para fábricas clandestinas de embalagem do produto.Uma dessas fábricas foi localizada no bairro do Mogilar, em Mogi das Cruzes, na grande São Paulo. Nela foram encontrados 316 vidros vazios (usados como embalagens para o palmito), 5 caixas contendo lacres para embalagens, outras 5 com rótulos nomeados, mas sem registro, 166 vidros já contendo palmito, todos embalados, prontos para a venda, 700 litros de aguardente, 9 aparelhos usados para piratear CDs e centenas de CDs e fitas de vídeo piratas.Em outras duas apreensões, que não resultaram em prisão, uma em Salesópolis e outra em Miracatu, quase 2 toneladas de palmito, também in natura, foram apreeendidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.