Polícia anuncia primeira apreensão de oxi no Rio Grande do Sul

Considerada mais davastadora que o crack; nova droga foi apreendida com quadrilha de tráfico em Porto Alegre

Priscila Trindade, Central de Notícias

12 de maio de 2011 | 14h15

SÃO PAULO - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul anunciou, nesta quinta-feira, 12, a primeira apreensão da nova droga conhecida como oxi, no Estado. O material foi apreendido em 25 de abril deste ano, quando três integrantes de uma quadrilha foram presos, na Vila Mário Quintana, bairro Rubem Berta, em Porto Alegre.

 

No total, 28 integrantes desta quadrilha já foram presos pela polícia. Na ocasião, também foram apreendidos oito quilos de maconha e cerca de R$ 1,2 mil.

 

O oxi é uma mistura de pasta-base de cocaína, querosene e cal virgem e até ácido de bateria. O entorpecente é mais devastador do que o crack. A droga está sendo analisado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

 

Para o Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), o oxi é proveniente da Bolívia. Segundo o delegado Rodrigo Zucco, da 2ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (DIN) do Denarc, a apreensão do entorpecente não significa que a droga esteja disseminada no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.