Polícia apreende 300 quilos de maconha no Rio

Um dia após a Polícia Federal interceptar um caminhão com cerca de 250 quilos de cocaína, crack e haxixe na Via Dutra, agentes da Polícia Civil do Serviço de Repressão a Entorpecentes (SRE) da Baixada Fluminense apreenderam cerca de 300 quilos de maconha em um caminhão que trafegava em Copacabana (zona sul). O motorista Nilton Cezar Oliveira, de 26 anos, foi preso em flagrante por tráfico de drogas.A exemplo da apreensão na Via Dutra, o material recolhido nesta quinta-feira iria para a Favela Beira-Mar, em Duque de Caxias (Baixada Fluminense), reduto do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que está preso na Superintendência da PF em Brasília. De lá, boa parte da maconha seria repassada para outros morros do Rio dominados pela facção criminosa Comando Vermelho. O motorista do caminhão contou aos policiais que a droga saiu do Paraguai e ele ganharia R$ 1 mil pelo serviço. "Ele também disse que não sabia o que estava carregando. Mentira pura", declarou o delegado Ronaldo Oliveira, titular da SRE-Baixada. "A gente já vinha monitorando esse caminhão desde São Paulo e, por isso, cercamos os acessos à Favela Beira-Mar desde o início da manhã". A polícia interceptou o caminhão por volta de 8 horas, e encontrou vários tabletes de maconha escondidos nos quatro pneus suspensos do veículo, que estava sem carga. "Ou o motorista errou o caminho na saída da Rodovia Presidente Dutra e foi parar na zona sul ou foi avisado do nosso bloqueio e tentou nos despistar", explicou o delegado.Ronaldo disse que um quilo de maconha é comprado no Paraguai por R$ 30 e vendido no Rio por R$ 550, em média. "É um lucro danado. Eles misturam essa droga com árvore seca e estrume e o usuário é quem sofre com problemas de saúde", declarou. Na quarta-feira, a PF apreendeu 208 tabletes de cocaína, 50 de crack e cinco de haxixe escondidos em um fundo falso de um caminhão, na Via Dutra, próximo à praça do pedágio no município de Seropédica (Baixada Fluminense). Foi a maior apreensão da PF este ano no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.