Polícia apreende 33 celulares em dois presídios paulistas

Em blitze feitas nesta quarta-feira, 9, nas Penitenciárias 1 de Presidente Prudente e na P-3 de Lavínia, no Oeste do Estado, PMs e agentes de segurança apreenderam 33 celulares, 28 fones de ouvido, 46 bolsas de maconha e 32 de cocaína, além de dezenas de estiletes e ferros que poderiam ser usados em rebeliões.As revistas fazem parte da ação adotada pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) para tentar impedir uma nova onda de rebeliões, como a ocorrida em maio, quando 74 presídios foram dominados pelos presos amotinados.No inicio da manhã, a tropa de choque invadiu a P-1 de Presidente Bernardes. Depois de 8 horas de revista, os PMs apreenderam 22 celulares, 7 carregadores, 16 fones de ouvido, 24 bolsas de maconha e 15 de cocaína e vários estiletes. Em Lavínia, a SAP recrutou agentes de penitenciárias vizinhas para fazer a blitz, que terminou depois de 7 horas com a apreensão de 11 celulares, 13 fones de ouvido, 5 carregadores, 7 bolsas de cocaína e 31 de maconha.Reforma no CRPA SAP iniciou nesta quarta-feira as obras de reforma do Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes, onde está detido o líder máximo do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Herbas Camacho, o Marcola, e outros integrantes da cúpula da facção.As celas do CRP foram danificadas em quebra-quebras feitos pelos 136 detentos que ocupavam a prisão no início de julho. Em ação conjunta, que durou três dias, eles destruíram vasos sanitários, pias, vidros das janelas e entradas de ventilação, que serão substituídos e reformados.Com a reforma, a SAP deverá substituir os vidros das janelas por placas de aço com furos para entrada de iluminação. O custo das obras vai passar de R$ 200 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.