Polícia apreende maconha e faz 7 prisões em Campinas

A Guarda Municipal e a Polícia Militar de Campinas apreenderam 5,7 quilos de maconha em duas casas, no Jardim Ouro Verde e no Jardim Vida Nova, ambos na periferia da cidade, ontem à noite. Sete pessoas foram presas e uma adolescente de 13 anos, detida como testemunha. Dois homens fugiram.No Ouro Verde, o flagrante foi feito pela GM, que apreendeu cinco quilos de maconha, uma balança eletrônica, dois celulares, uma televisão, um videocassete e um aparelho de som. Parte da maconha estava embalada em 851 trouxas.Ana Paula Silva de Farias, de 18 anos, estava sentada no chão da sala embalando a maconha quando os guardas municipais invadiram a casa. Já a menor não foi flagrada mexendo na droga. Dois homens também embalavam a droga, sentados em frente à casa, quando foram avistados pela GM. Eles viram os guardas se aproximarem e conseguiram fugir pelos fundos do imóvel.A maconha era colocada em pequenos sacos plásticos pretos, fechados com fita crepe. De acordo com informações obtidas pelos guardas, a droga seria distribuída na região do Jardim Ouro Verde. A ocorrência foi registrada no 9º Plantão Policial. Ana Paula foi encaminhada para o presídio feminino de Monte Mor.No bairro Vida Nova, seis pessoas, entre elas duas mulheres, foram presas por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e formação de quadrilha. Na casa, a Polícia Militar encontrou 700 gramas de maconha sendo embalados e dois revólveres calibre 38. As mulheres foram encaminhadas para o presídio feminino de Monte Mor. Dois dos quatro homens eram foragidos da Justiça.O imóvel fica a poucos metros da escola estadual do bairro. A polícia chegou até o local por meio de denúncia anônima. Segundo a PM, a casa servia de base para uma quadrilha de traficantes da região. Os policiais acreditam que parte da droga seria distribuída nas proximidades da escola.Os detidos foram identificados como Cláudio Caetano, de 43 anos, com prisão decretada por roubo e furto, seu filho Everton Eduardo Ribeiro Caetano, de 18, sua mulher Fátima Francisco Honório, de 40; Everton Antônio, de 18, suspeito de envolvimento em um duplo homicídio; Sandra Madalena Francisco, de 33 anos; e Vanderlei Guedes da Silva, de 24 anos, que seria fugitivo do Carandiru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.