Polícia aprende 5 milhões de cigarros em Minas

A Polícia Civil de Minas Gerais apreendeu, no final da noite de ontem, cerca de cinco milhões decigarros falsificados que estavam em um depósito clandestino na cidade de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte. O local, segundo os policiais, era usado por contrabandistas para armazenar a mercadoria ilegal trazida do Paraguai. Dois ônibus estavam descarregando os produtos no momento em que os policiais chegaram ao depósito. Segundo o delegado Horivelton Cabral, titular da 2ª Delegacia de Falsificações e Defraudações de Minas Gerais, quatro pessoas foram identificadas no local e intimadas a prestarem depoimentos. Ele informou que não foi possível realizar o flagrante delito, já que este dependeria de um laudo pericial que confirmasse que o produto apreendido é falsificado. ?Não temos como realizar essa perícia instantânea, apesar da certeza de que a carga é falsificada?, disse. Segundo o diretor regional da Associação Brasileira de Combate à Falsificação (ABCF), Roberto Alves de Lima, queacompanhou a apreensão, entre os cigarros ilegais há falsificação de marcas líderes do mercado e outras que não estão cadastradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os policiais e os representantes da ABCF em Minas acreditam que os produtos seriam comercializados na capital mineira e outras cidades da região metropolitana.No último dia 24, quatro ônibus carregados com cigarros ilegais foram apreendidos na rodovia MG 050, nas proximidadesda cidade de Pimenta, região centro-oeste do Estado. Os ônibus vinham do Paraguai e transportavam um total deaproximadamente 11,3 milhões de cigarros (1.126 caixas).O delegado estima que o governo mineiro deixa de arrecadar aproximadamente R$ 130 milhões por ano com o nãorecolhimento de ICMS e IPI sobre os cigarros vindos do Paraguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.