Polícia apresenta o "Xis", do PCC

A Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) apresentou, nesta quarta-feira, em São Paulo, Alexandre Francisco Sandorfy, o Xis, de 39 anos, um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC).Xis foi resgatado em janeiro da Penitenciária de Araraquara, no interior do Estado de São Paulo. Ele acabou detido no Sul do País, há quase um mês, com mais três homens - supostamente integrantes da facção. Todos foram transferidos para São Paulo. No dia 28 de janeiro, uma quadrilha fortemente armada seqüestrou a família do diretor da Penitenciária de Araraquara, no interior do Estado de São Paulo, Leandro Pereira. Para libertar as vítimas, os seqüestradores exigiram a liberação de presos ligados ao PCC. Os familiares de Pereira foram levados para um cativeiro na cidade de São Carlos, onde permaneceram durante as negociações. Na ocasião, o diretor libertou cinco detentos, incluindo Sandorfy. A quadrilha acabou presa no Rio Grande do Sul por receptação de carros roubados. Além de Sandorfy, foram detidos outros três homens. Segundo o delegado Ubiracyr Pires da Silva, a polícia só conseguiu chegar a Sandorfy depois da prisão de Adenir Felix dos Santos, de 31 anos, no início de abril.Santos, que também integrava a quadrilha, foi detido na Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo, em um caminhão carregado com várias armas, munições, coletes à prova de bala e dinamite.Com ele, a polícia encontrou uma passagem de avião para o Rio Grande do Sul e anotações com o telefone de X. Santos fugiu para São Paulo após saber da prisão dos companheiros."Diante das evidências, acionamos a polícia do Rio Grande do Sul e pedimos a transferência do bando para São Paulo", disse o delegado. De acordo com Silva, Santos teria confessado que o objetivo do grupo era realizar um grande assalto no Sul do Brasil."Eles executam grandes roubos e depois investem no resgate de membros da facção." A quadrilha deveria ser interrogada nesta quarta-feira e transferida para presídios da capital. Sandorfy tem condenações por assalto a banco e carro-forte.Durante a apresentação do grupo, Xis negou ter relações com o PCC. "Não sei nada disso", disse. "Se quiserem saber mais, falem com meu advogado." Os outros membros da quadrilha também se recusaram a falar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.