Polícia apresenta trio acusado de matar adolescente em Minas

Doméstica, pedreiro e 'vidente' teriam também seqüestrado outras crianças para fazer ritual macabro

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo,

17 de dezembro de 2007 | 18h32

A Polícia Civil de Minas Gerais apresentou nesta segunda-feira, 17, em Ouro Preto, um casal e uma "vidente", presos por suspeita de envolvimento no assassinato de uma adolescente de 13 anos e do seqüestro de outras duas crianças, de 10 e 11 anos.   O servente de pedreiro Evandro Alfenas Bosco, de 25 anos, estava foragido desde o dia 13, quando sua companheira, a doméstica Solange de Fátima Silva, 25 anos, foi presa em flagrante mantendo duas crianças seqüestradas em sua residência, nuas e sob ameaças de uma faca. O homem conseguiu escapar do cerco policial, mas no sábado acabou se entregando numa delegacia de São Paulo. Ambos, segundo a polícia, confessaram a participação nos crimes.   A "vidente" Percília Nicolete foi presa também no sábado, em Mariana, cidade vizinha a Ouro Preto. Conhecida como Dona Vitória, Percília já estava com mandado de prisão em aberto, expedido pela Justiça de Barbacena por prática de curandeirismo e charlatanismo.   Conforme o delegado Flávio Tadeu Destro, o casal alegou que agia seguindo orientação da "vidente". Segundo as investigações, as crianças seriam mortas num ritual macabro, para que Solange conseguisse engravidar.   O delegado disse que, em depoimento, a doméstica confessou também a autoria do assassinato da adolescente E.C.C., de 13 anos, em outubro. A garota, que havia desaparecido de Mariana, teria sido estrangulada e depois teve o corpo queimado. Solange denunciou a participação de Bosco, que confessou ter praticado violência sexual contra a vítima.   Um corpo carbonizado que seria da adolescente foi encontrado na madrugada do dia 20 de outubro no bairro Morro Santana, a três quilômetros do centro histórico de Ouro Preto. Como não foi identificada, a vítima foi enterrada como indigente. Dias depois, uma mulher procurou a polícia afirmando que a filha estava desaparecida. A polícia aguarda o resultado do exame de DNA para confirmar a identidade.   "Assistência espiritual"   A polícia acredita que as duas crianças resgatadas teriam o mesmo destino da adolescente. Elas foram localizadas por um irmão e um primo do servente de pedreiro, que conseguiram imobilizá-lo e acionaram a polícia. Ao ser dominado, Bosco chegou a desmaiar, mas conseguiu fugir antes da chegada dos policiais.   Percília foi presa quando prestava "atendimento" em uma casa de Mariana. No local foram apreendidos diversos objetos relacionados à prática de cartomancia, búzios e outras atividades ligadas a cultos espirituais. Solange, de acordo com a polícia, disse que quando procurou "assistência espiritual" para engravidar, a "vidente" afirmou que alguém teria feito um "trabalho" contra o casal, que só seria desfeito se uma criança ou adolescente fosse sacrificada.   A doméstica e o servente de pedreiro serão indiciados por homicídio qualificado e cárcere privado. Bosco será indiciado também por abuso sexual. Percília será indiciada por indução da prática de homicídio. Nesta segunda, ela negou participação nos crimes. Os suspeitos cumprem prisão preventiva em delegacias de Congonhas e Ouro Preto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.