Polícia baiana espera identificar assassino de turista francês pelo DNA

Henri Marie Dominique Zeig, de 72 anos, foi atingido por cinco tiros nesta última terça-feira, 25, em Porto Seguro; há indícios de que a vítima teria lutado com o criminoso

Tiago Décimo, SALVADOR,

26 Outubro 2011 | 21h44

A polícia baiana espera conseguir identificar o assassino do turista francês Henri Marie Dominique Zeig, de 72 anos, morto na noite desta última terça-feira, 25, em Porto Seguro, no litoral sul da Bahia, por meio de análise de DNA. Há indícios de que a vítima lutou com o criminoso antes de ser atingido por cinco tiros - e pedaços de pele extraídos da unha do francês podem apontar o autor dos disparos.

Morador de Luxemburgo e corretor de imóveis aposentado, Zeig estava no sul da Bahia acompanhado pela mulher, Brigitte Gisele Ida Drouot, de 58 anos, desde o dia 5. A Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur) de Porto Seguro, que investiga o crime, trabalha com a hipótese de latrocínio. O francês foi encontrado sem o relógio - um Rolex de ouro branco -, a aliança de ouro e os R$ 200 com os quais havia saído para uma caminhada pela orla norte de Porto Seguro.

Brigitte prestou depoimento, na tarde de hoje, ao delegado Ricardo Feitosa. Contou que o casal havia sofrido uma tentativa de assalto na última quinta-feira. Ele reagiu, permitindo a ela que fugisse e chamasse a polícia, mas acabou ferido levemente por um dos assaltantes. O casal não teve objetos levados no episódio.

Na terça-feira à noite, o casal saiu para jantar com o filho de uma amiga que também reside em Luxemburgo, identificado pela polícia apenas como Diego. Depois de comer, Zeig teria pedido para voltar ao hotel a pé, sozinho. Seu corpo foi achado pouco depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.