Polícia busca homem que teria causado acidente com lancha

A Polícia do Espírito Santo ainda buscava neste sábado o empresário Rodrigo Campello, dono da lancha Angels, apontada como a embarcação que atropelou o engenheiro Felipe Domingos Brito, de 29 anos, numa praia de Vitória. O rapaz teve o braço decepado pela lancha. O acidente aconteceu na quinta-feira. A suspeita da polícia surgiu do depoimento de testemunhas que dizem ter visto Campello sair na lancha com uma mulher, tendo retornado à marina pouco depois do acidente. A embarcação foi apreendida e a polícia encontrou danos nas hélices. Apesar de não ter sido socorrido pela lancha que arrancou parte de seu braço esquerdo, Brito ainda conseguiu pedir ajuda e foi resgatado por um salva-vidas. O pai do rapaz, Antônio Brito, disse que o filho já trabalhou como salva-vidas e gosta de atividades físicas como a natação no mar. O engenheiro já passou por duas cirurgias e permanece internado no Hospital Santa Rita de Cássia, na capital capixaba. Ele está consciente e passa bem. Segundo a família, o rapaz não demonstra descontrole emocional. Os parentes cobram da polícia uma definição sobre a culpa de Campello. Brito nadava a menos de 200 metros da praia, na Curva da Jurema, onde embarcações a motor não podem transitar. Se for realmente o responsável, Campello será indiciado por lesão corporal grave e omissão de socorro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.