Polícia caça membros da quadrilha da Favela Pantanal

Todas as equipes policiais envolvidas nas investigações do assassinato do prefeito de Santo André (SP), Celso Daniel (PT), estão mobilizadas para capturar os integrantes já identificados da quadrilha da Favela do Pantanal, acusada de participação no crime. A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública informou que equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic) estão envolvidas nas buscas.São esperadas prisões para as próximas horas, mas a assessoria informou que elas não deverão ser divulgadas, uma vez que o inquérito passou a correr em sigilo de Justiça, a partir de ontem, por determinação do juiz Luiz Fernando Migliori Prestes, da 1ª Vara Criminal de Itapecirica da Serra, na Grande São Paulo, responsável pela jurisdição de Juquitiba, onde o corpo de Daniel foi encontrado.Com a decretação do sigilo, nenhuma informação sobre as investigações poderá ser divulgada até a conclusão do inquérito. O vazamento de informações poderá dar origem a sindicância. A direção do DHPP deixou de informar, desde ontem, sobre a programação diária dos depoimentos de testemunhas do caso. A Agência Estado apurou que a fase de interrogatórios está suspensa e só deverá ser retomada após a prisão de suspeitos ou o surgimento de fatos novos.A polícia acredita que já identificou todos os integrantes da quadrilha: Deivid Santos Barbosa, o Sapeco, e Andrelison dos Santos Oliveira, o Cara Seca, que estão presos; Antônio Carlos Pereira Santos, o Legal; Deivison Cristiano Corrêa, o Alemão; Elcyd Oliveira Brito, o John; Ivan Rodrigues da Silva, o Monstro (líder do bando); Itamar Messias Silva dos Santos; Juscelino da Costa Barros, o Cara de Gato; Mauro Sérgio Santos de Souza, o Serginho; e Rodolfo Rodrigo dos Santos Oliveira, o Bozinho. Três outros integrantes da quadrilha - Manoel Dantas Santana Filho, o Cabeção; Marcos Roberto Brito dos Santos, o Marquinhos; e um menor - estão presos, e não teriam participado do seqüestro do prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.