Polícia cerca o prédio, a cidade pára. Era alarme falso

Até descobrir que se tratava de um alarme falso, 40 policiais, sendo a maioria do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), foram mobilizados para cercar um prédio no Jardim Botânico, zona sul, hoje de manhã. Havia a suspeita de que três homens armados estavam fazendoum casal de refém. Durante mais de três horas, eles vasculharam os 48 apartamentos, mas ninguém foi encontrado. Por causa do cerco ao edifício de quatro andares, que fica no número 719 da rua Jardim Botânico, as duas pistas da via, umadas mais movimentadas da cidade, foram fechadas por uma hora. O trânsito ficou tumultuado no local. A todo momentochegavam policiais, muitos armados com fuzis e alguns usando máscaras, capacetes e até escudos.Negociadores foram chamados para tentar contato com os bandidos, o que aumentava a expectativa. Além da notícia falsa, mais uma confusão. Achava-se que o morador do apartamento 215, o advogado e professor de Direito, identificado apenas como Carlos Eduardo, e a namorada dele, eram os reféns. Para surpresa de todos, o advogado voltava de sua caminhada matinal, quando viu a movimentação. ?Não tem ninguém em casa?, contou ele, surpreso. Pouco depois de Carlos Eduardo entrar no prédio a polícia deu o caso por encerrado. ?Foi ele (Carlos Eduardo) que nos deu a certeza de que não teria ninguém no prédio porque disse que mora sozinho e,realmente, não havia gente no apartamento 215?, contou o major Carlos Aquino, subcomandante do Batalhão do Leblon,responsável pela área. Segundo ele, os policiais foram avisados do suposto assalto às 9 horas. ?A informação era de que três homens faziam duas pessoas de reféns, mas nada foi encontrado e não havia sinais dearrombamento. Foi alarme falso.? A chamada partiu de uma moradora da vila ao lado, que, segundo vizinhos, disse ter visto um homem apontando uma arma para a cabeça de outra pessoa. Aquino justificou toda a mobilização. ?Fizemos o cerco, a contenção do local e solicitamos o apoio técnico do Bope paravasculhar o prédio. Fechamos a rua para evitar uma possível fuga e expor ao mínimo a vida de inocentes.? Por volta de 12h30, a rua Jardim Botânico foi reaberta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.