Mário Vasconcellos/CMRJ
Mário Vasconcellos/CMRJ

Polícia Civil cumpre mandados relacionados à morte de Marielle e motorista

Alvos das buscas seriam milicianos; ação da polícia acontece em vários pontos do Rio e nas cidades de Nova Iguaçu, Angra dos Reis, Petrópolis e Juiz de Fora (MG)

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2018 | 12h27
Atualizado 14 de dezembro de 2018 | 13h06

RIO DE JANEIRO - Policiais da Delegacia de Homicídios (DH) do Rio estão nas ruas desde o início da manhã desta quinta-feira, 13, tentando cumprir 15 mandados de prisão e de busca e apreensão relacionados à morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes

No meio da tarde, a polícia divulgou nota informando que os mandados são referentes a inquéritos policiais instaurados na DH "e que transcorrem de forma paralela às investigações do caso Marielle e Anderson". De acordo com a nota, "a medida é uma ferramenta voltada à inviolabilidade e ao sigilo das informações coletadas no bojo do inquérito policial principal".

Os alvos das buscas seriam milicianos - a atuação deles é uma das principais linhas de investigação do crime, ocorrido em março. A ação da polícia acontece em vários pontos do Rio e nas cidades de Nova Iguaçu, Angra dos Reis, Petrópolis e Juiz de Fora (MG). 

A Polícia Civil não informou número de agentes envolvidos e tampouco fez um balanço da ação. Segundo a DH, o sigilo das investigações "é a maior garantia para chegar aos autores e mandantes dos crimes investigados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.