Polícia Civil de Minas afasta 11 policiais

A cúpula da Polícia Civil de Minas Gerais decidiu afastar 11 policiais da corporação que estão sendo acusados de diversos crimes. A medida foi anunciada na noite desta quarta-feira em uma nota oficial. Dos 11 servidores afastados, dez estavamlotados na Divisão de Tóxico e Entorpecentes da capital mineira. Naúltima sexta-feira, o Ministério Público Estadual concluiu umprocedimento administrativo e pediu às autoridades mineiras a suspensão imediata das atividade de 18 policiais, sendo 17 da Tóxicos. Em março, três agentes da delegacia foram afastados de suas funções depois que escutas telefônicas realizadas no final de 2003, com autorização da Justiça, revelaram que pelo menos seis servidores usavam a carteira funcional, informações e decisões judiciais das investigações em andamento para extorquir e receber propina em dinheiro, bens móveis ou drogas. Nas gravações feitas pela PolíciaFederal, os agentes foram flagrados negociando com um traficante preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana.Segundo a nota, "agregados novos indicadores investigativos ao respectivo procedimento apuratório", a direção da Polícia Civil decidiu pelo afastamento dos outros agentes. Conforme o comunicado, a decisão, contudo, "não tem o efeito de firmar convicção definitiva sobre quaisquer das situações jurídicas individuais de tais servidores".O comando da corporação citou o artigo 5º da Constituição, em seuinciso X - que determina a inviolabilidade da intimidade, da vidaprivada, da honra e imagem das pessoas - para dizer que "se abstém de divulgar nomes" até que as investigações sejam concluídas e o caso remetido à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.