Polícia Civil do DF confirma prisão do empresário Nenê Constantino

Pai do sócio-fundador da Gol, ele é acusado de homicídio e tentativa de assassinato em Brasília

Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 12h56

SÃO PAULO - A Direção-Geral da Polícia Civil do Distrito Federal confirmou na manhã desta quinta-feira, 16, em nota, a prisão preventiva de Nenê Constantino, pai de um dos sócios-fundadores da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Junior. Ele é suspeito de ser o mandante de tentativa de homicídio, em 2008, de Eduardo de Queiroz, genro do empresário.

 

O empresário foi detido às 23 horas de quarta-feira, passou pelo Instituto Médico Legal (IML) e foi levado à carceragem do Departamento de Polícia Especializada do Distrito Federal (DPE-DF). A Polícia Civil afirma que ontem também foi detido, às 16h30, o ex-policial José Humberto de Oliveira Cruz, acusado de ser o executor da tentativa de assassinato. O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Fábio Martins, do Tribunal do Júri de Taguatinga, cidade-satélite do Distrito Federal.

 

O inquérito policial sobre o caso é relatado pela Coordenação de Repressão a Crimes Contra a Vida (CORVIDA) do Distrito Federal. De acordo com o apurado, Eduardo dirigia seu veículo, no dia 05 de junho de 2008, em Brasília, quando um homem desconhecido, que se encontrava nas proximidades, aproximou-se do carro em movimento e, a um metro de distância, descarregou um revólver. A vítima não foi atingida. O ex-policial militar foi expulso da corporação por má conduta, segundo a Polícia Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.