Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Polícia Civil do Rio prende cinco em operação contra roubo de carros

Operação Beta está nas ruas para cumprir 12 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão; quadrilha teria atuação também em Minas Gerais e movimentaria em torno de R$ 1 milhão por mês

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2020 | 11h37

RIO - Cinco pessoas foram presas em uma operação contra uma quadrilha especializada na receptação e venda de carros roubados, na manhã deste sábado, 19, pela Polícia Civil do Rio. A Operação Beta está nas ruas para cumprir 12 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão, portanto, mais suspeitos poderão ser presos, informa uma nota divulgada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil. A quadrilha teria atuação também em Minas Gerais e movimentaria em torno de R$ 1 milhão por mês, conforme as investigações.

A apuração da Polícia Civil do Rio começou há cerca de dois meses, a partir do monitoramento de ladrões de carros da Cidade de Deus, comunidade localizada em Jacarepaguá, zona oeste da capital fluminense.

Segundo as investigações, os ladrões da Cidade de Deus seriam os fornecedores de carros roubados para a quadrilha, que se organizava em “núcleos”. Um grupo seria responsável pela aquisição dos veículos roubados, outro por fraudar a documentação e um terceiro núcleo cuidava da venda dos carros para pessoas que pensavam estar adquirindo um bem legal.

Ainda de acordo com a Polícia Civil do Rio, dois suspeitos que estão em Minas Gerais teriam papéis importantes na estrutura da quadrilha. Um deles seria o despachante responsável por “esquentar” os veículos roubados com documentação fraudada. O segundo suspeito faria a negociação desses veículos em Minas. Por isso, a operação deste sábado teve apoio de agentes da Polícia Civil mineira.

“Os criminosos foram denunciados pelos crimes de organização criminosa, receptação, estelionato, falsificação de documento público, porte ilegal de arma de fogo e lavagem de dinheiro”, diz a nota divulgada pela Polícia Civil do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.