Polícia Civil fecha escritório de agiotagem no centro do Rio

Vítima denunciou agiotas; um homem foi preso em flagrante no local

Priscila Trindade, estadão.com.br

03 de agosto de 2011 | 07h58

SÃO PAULO - Policiais da Delegacia do Consumidor (DECON) fecharam, nesta terça-feira, 2, um escritório de agiotagem na Rua Álvaro Alvim, no centro do Rio de Janeiro. Um homem de 39 anos foi preso em flagrante no local.

 

Os agentes descobriram o escritório após uma vítima procurar a delegacia e comunicar que estava sofrendo ameaças depois de não pagar a dívida com os agiotas. Na ocasião da abordagem, outra vítima da quadrilha, que iria pagar uma parcela do empréstimo, no valor de R$ 179, confirmou que o escritório de agiotagem cobrava uma taxa de juros em torno de 40%.

 

O preso foi autuado de acordo com as leis de relações de consumo e sistema financeiro e pelo crime de formação de quadrilha.

 

Segundo a Polícia Civil, desde o dia 12 de maio, quando a Decon iniciou a "Operação Juros Legais", nove pessoas foram presas nos bairros do centro, Tijuca e em Niterói. Durante as investigações foi constatado que os escritórios estão mudando os seus endereços físicos para fugirem das ações policiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.