Polícia Civil fecha escritório de agiotagem no centro do Rio

Vítima denunciou agiotas; um homem foi preso em flagrante no local

Priscila Trindade, estadão.com.br

03 Agosto 2011 | 07h58

SÃO PAULO - Policiais da Delegacia do Consumidor (DECON) fecharam, nesta terça-feira, 2, um escritório de agiotagem na Rua Álvaro Alvim, no centro do Rio de Janeiro. Um homem de 39 anos foi preso em flagrante no local.

 

Os agentes descobriram o escritório após uma vítima procurar a delegacia e comunicar que estava sofrendo ameaças depois de não pagar a dívida com os agiotas. Na ocasião da abordagem, outra vítima da quadrilha, que iria pagar uma parcela do empréstimo, no valor de R$ 179, confirmou que o escritório de agiotagem cobrava uma taxa de juros em torno de 40%.

 

O preso foi autuado de acordo com as leis de relações de consumo e sistema financeiro e pelo crime de formação de quadrilha.

 

Segundo a Polícia Civil, desde o dia 12 de maio, quando a Decon iniciou a "Operação Juros Legais", nove pessoas foram presas nos bairros do centro, Tijuca e em Niterói. Durante as investigações foi constatado que os escritórios estão mudando os seus endereços físicos para fugirem das ações policiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.