Polícia Civil indicia 4 PMs por morte de estudante da Unicamp

A Polícia Civil de Limeira indiciou quatro policiais militares como responsáveis pela morte do estudante Elgim Tito Borges Júnior, de 23 anos, ocorrida em outubro de 2002 no interior do Ceset (Centro Superior de Educação Tecnológica), instituição da Unicamp onde o rapaz cursava o 1o. ano de Tecnologia em Saneamento Ambiental. Confundido com um dos assaltantes que invadiram o campus para assaltar um posto bancário, Júnior levou um tiro nas costas durante o tumulto e morreu na hora. De acordo com o delegado Coligni Luciano Gomes, que comandou o inquérito instaurado para apurar as circunstâncias da morte do estudante, as investigações indicam que a operação policial foi desastrada e que o tiro que atingiu o rapaz partiu de uma arma usada pela Polícia Militar. Como não foi apurado qual policial militar atirou no estudante, o delegado decidiu indiciar de forma coletiva os quatro PMs que chegaram primeiramente ao campus para atender a ocorrência. Os nomes dos indiciados não foram divulgados à imprensa. Segundo o delegado Coligni, as investigações também indicam que o estudante não teve nenhuma participação no assalto, tendo sido morto por engano no momento em que corria. O inquérito será encaminhado brevemente para o Fórum de Limeira. Paralelamente a essas investigações, tramitou na Delegacia de Polícia um outro inquérito que esclareceu a autoria do assalto. Das 9 pessoas indiciadas, uma está foragida, duas foram absolvidas pela Justiça e seis estão presas - incluindo o porteiro que havia facilitado a entrada dos bandidos no campus da Unicamp.

Agencia Estado,

09 de abril de 2004 | 16h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.