Polícia Civil indicia dona de parque de diversões onde ocorreu acidente no Rio

Proprietária é suspeita de homicídio doloso após episódio que acabou em morte de duas pessoas

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2011 | 19h08

RIO - A dona de um parque de diversões em Vargem Grande, na zona oeste do Rio, foi indiciada nesta terça-feira, 16, pela Polícia Civil, por homicídio doloso (com intenção de matar). No local que ela administra, houve um acidente num dos brinquedos que provocou a morte de dois adolescentes.

Convocada para depor, a proprietária Maria da Glória Pinto esteve na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) com o filho, mas se recusou a prestar depoimento. Segundo a delegada Adriana Belém, ela afirmou que só vai se manifestar em juízo. No inquérito do processo foram anexadas as perguntas que seriam feitas na delegacia.

Nesta tarde, morreu o estudante Vitor Alcântara Oliveira, de 16 anos, segunda vítima do acidente ocorrido na madrugada de domingo em um parque de diversões. Ele sofreu traumatismo craniano e estava internado no hospital Miguel Couto, na Gávea (zona sul). Alessandra Aguilar, de 17 anos, foi a outra jovem que morreu. A adolescente estava na fila da bilheteria do Glória Center para comprar ingresso para o brinquedo chamado Tufão quando um carrinho se soltou, percorreu mais de dez metros e a atingiu.

Além de Alessandra, outras oito pessoas ficaram feridas. Duas continuam internadas no hospital Miguel Couto. Daiane Mesquita, também de 17 anos, está em estado grave no CTI e ainda corre risco de morte. Francine Januário Santana, de 20 anos, fraturou a mandíbula e sofreu uma cirurgia, mas já está em recuperação, segundo a secretaria municipal da Saúde.

Ana Gabrielle Van Bellen, de 17 anos, que estava com Alessandra em um grupo de amigos e também foi ferida, também prestou depoimento hoje. Ela contou que o grupo já tinha andado no brinquedo e estava decidindo se andaria novamente quando o carrinho se desprendeu. "Quando acordei já estava todo mundo no chão. Não sei bem o que aconteceu", disse Ana, que levou 12 pontos na cabeça.

A Polícia Civil informou que um funcionário do parque, Diogo Melo de Paiva, de 23 anos, morreu em um acidente ocorrido em junho passado em um brinquedo chamado Surfe. O parque estava em Paty do Alferes, na região sul do Estado. Com essa já são quatro as mortes decorrentes de acidentes no parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.