Polícia conclui inquérito da morte de Celso Daniel

A polícia concluiu hoje o inquérito da morte do prefeito de Santo André Celso Daniel (PT) e enviou as 1.397 folhas dos sete volumes à 1.ª Vara de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, que julgará o caso. Ao todo, sete pessoas estão identificadas e são acusadas de participação direta no seqüestro seguido de assassinato do prefeito - entre elas está um adolescente. Dos sete, dois continuam foragidos: Ivan Rodrigues da Silva, o Monstro, líder do bando, e Elcyd Oliveira Brito, o John.Agora cabe ao Ministério Público examinar os autos e apresentar à Justiça denúncia criminal contra os acusados. O relatório do delegado afirma, agora de forma oficial, que o prefeito foi vítima de um crime comum. A quadrilha que o atacou desejava seqüestrar um comerciante. Como o plano não deu certo, eles resolveram apanhar o primeiro carro importado que passasse.Segundo o presidente do inquérito, delegado Armando de Oliveira Costa Filho, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), as investigações vão prosseguir mesmo com a conclusão do inquérito com o objetivo de identificar dois outros participantes do bando. Conhecidos apenas pelos apelidos de Baianinho e Primo, eles são acusados de vigiar o prefeito durante o período em que ele foi mantido preso num sítio em Juquitiba. De lá, Daniel foi levado à Estrada da Cachoeira, na mesma cidade, e assassinado pelo adolescente no dia 20 de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.