Polícia Civil
Polícia Civil

Polícia confirma 2ª morte por suspeita de intoxicação após consumo de cerveja

Vítima estava internada em hospital de Belo Horizonte; balanço da Secretaria de Estado de Saúde aponta 17 casos suspeitos

Leonardo Augusto, especial para o Estado

15 de janeiro de 2020 | 10h36
Atualizado 15 de janeiro de 2020 | 15h38

BELO HORIZONTE - A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou nesta quarta-feira, 15, a segunda morte por suspeita de intoxicação por dietilenoglicol encontrado na cerveja Belorizontina, da fábrica mineira Backer. A vítima, do sexo masculino, estava internada em um hospital particular de Belo Horizonte. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para necropsia.

Os investigadores explicaram que o caso estava entre os suspeitos e que a confirmação sobre a causa da morte só será possível após a conclusão do laudo.

"Os médicos-legistas do Instituto Médico-Legal André Roquette já estão realizando a necropsia e outras informações serão divulgadas em momento oportuno", afirmou, em nota, a Polícia Civil.

A primeira morte confirmada foi a de um morador de Ubá, na Zona da Mata, no dia 7 de janeiro. A vítima tinha 55 anos e morreu em Juiz de Fora, também na Zona da Mata.

Uma terceira morte por causa da intoxicação ainda não foi confirmada, a de uma senhora de 60 anos de Pompéu, na Região Central de Minas. Todos foram diagnosticados com problemas neurológicos e insuficiência renal grave.

A polícia informou ter recebido até esta quarta 18 notificações de casos suspeitos de pacientes que apresentaram os sintomas de possível intoxicação por dietilenoglicol, uma a mais do que o divulgado no último balanço da Secretaria de Estado de Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.