Divulgação/Brigada Militar
Divulgação/Brigada Militar

Polícia confirma hipótese de que empresário foi executado a tiros por engano em Porto Alegre 

Marcelo de Oliveira Dias, de 44 anos foi morto no estacionamento de um hipermercado em frente à filha

Luciano Nagel, Especial para O Estado

23 Outubro 2016 | 17h22

PORTO ALEGRE - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul confirmou em coletiva de imprensa, na tarde deste domingo, 23, que o empresário Marcelo de Oliveira Dias, de 44 anos, foi confundido com um traficante do "Beco do Adelar", no bairro Aberta dos Morros, zona sul de Porto Alegre. Dias foi executado na quinta-feira, 20, no estacionamento do hipermercado Zaffari. Na ação, os criminosos balearam sua filha, de apenas quatro anos de idade, que também estava no interior do veículo Peugeot. A menina foi atingida no pescoço e está internada no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. 

Conforme a delegada Elisa Souza, da 6ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), três homens participaram do crime, além de uma adolescente de 16 anos. O grupo foi detido pela Brigada Militar na madrugada de sexta-feira, 22, em Porto Alegre. Os criminosos teriam armado uma emboscada para matar um traficante rival do "Beco do Adelar". A função da adolescente, segundo a polícia, seria avisar o bando quando o suposto traficante chegasse ao hipermercado. O grupo tinha informações de que a vítima chegaria em um veículo Peugeot, de cor branca. Ao serem comunicados pela adolescente, os criminosos desceram de um automóvel e executaram a tiros, erroneamente, o empresário Marcelo de Oliveira Dias. 

Em depoimento à Polícia Civil, os suspeitos admitiram que erraram o alvo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.