Polícia continua buscas a suspeitos que participaram de invasão a hotel no Rio

Investigação quer descobrir se traficante conhecido como Nem, chefe do tráfico da Rocinha, estava envolvido

Solange Spigliatti, estadão.com.br

23 de agosto de 2010 | 14h58

 

SÃO PAULO - A Polícia Civil do Rio continua as investigações para localizar os suspeitos que estavam com um grupo que invadiu um hotel de luxo em São Conrado, bairro da zona sul da cidade, no último sábado, 21, mantendo 35 pessoas reféns.

 

Veja também:

linkApós invasão de hotel, reservas são canceladas

linkTiroteio e invasão a hotel é destaque na imprensa internacional

 

A Polícia também quer informações se o traficante Antônio Bonfim Lopes, conhecido como Nem, chefe do tráfico na Rocinha, e procurado pela Justiça, estava entre os bandidos.

 

O conflito, que levou pânico aos moradores do bairro de classe média alta, começou quando um grupo de bandidos da Rocinha, com cerca de 60 pessoas, voltava de um baile funk na Favela do Vidigal, comunidade próxima, e foi interceptado por PMs em patrulhamento, em São Conrado, segundo a Polícia Militar.

 

Nove pessoas foram presas e um menor apreendido até o momento, de acordo com a polícia. Uma mulher morreu no conflito e quatro PMs ficaram feridos. Os detidos foram autuados por cárcere privado, associação para o tráfico e porte ilegal de armas e de explosivos.

 

Os presos não prestaram nenhum depoimento na delegacia e só vão falar em juízo. Ainda não há nenhum depoimento agendado, segundo a polícia.

Conflito começou quando cerca de 60 pessoas da Rocinha voltavam de um baile funk na Favela do Vidigal, comunidade próxima, e foram interceptadas por PMs em patrulhamento, em São Conrado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.