Polícia controla rebelião no Cadeião de Pinheiros

A Secretaria da Segurança Pública informou que a rebelião na Cadeia Pública II de Pinheiros está controlada e os presos já estão nas celas. Segundo o assessor de gabinete da Secretaria, Reinaldo Golo, cerca de 80 homens da Tropa de Choque aguardam no pátio da cadeia para iniciar a contagem dos presos. Quando a Tropa de Choque invadiu a cadeia foram ouvidos dois estrondos que, de acordo com o assessor, seriam bombas de gás lacrimogênio. Ele informou que a rebelião teve início depois que cinco homens armados de metralhadoras e fuzís e vestindo coletes da Polícia Civil, chegaram à cadeia por volta das 3h50. O grupo disseram aos carcereiros que estavam no local para reforçar a guarda de presos. Pouco depois, renderam dois carcereiros e conseguiram entrar na cadeia, identificando-se como integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC).Policiais do Grupo de Operacões Especiais da Polícia Civil (GOE) perceberam a movimentação e iniciaram um tiroteio com os invasores. Na troca de tiros, um preso foi ferido na perna. Durante o episódio, alguns detentos entre três e quatro segundo as informacões iniciais conseguiram escapar. Em seguida, os detentos iniciaram a rebelelião.A Cadeia Pública II abriga 1040 detentos. Segundo a Secretaria, não houve reféns e o preso ferido foi atendido no Hospital das Clínicas, mas já retornou à cadeia. Reinaldo Golo informou que durante a semana os funcionários da cadeia receberam um telefonema anônimo dando conta que o detento Amadeus Geraldo de Souza, preso por roubo em julho de 2001, seria resgatado.O episódio provocou medidas de reforço na guarda da carceragem e, por conta disso, os carcereiros, teriam acreditado que os falsos policiais civís que chegaram no Gol preto fariam parte desse procedimento. O secretário Saulo Castro de Abreu Filho está acompanhando o governador Geraldo Alckmin, que visita cidades do Vale do Paraíba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.