Polícia de Foz erra e vítima vira falsário

Em menos de 24 horas, a polícia de Foz do Iguaçu (PR) conseguiu transformar o publicitário Gustavo Borja, de 31 anos, no nadador Gustavo Borges, de 34, e, logo depois, em um falsário que teria se passado pelo nadador para aplicar golpes.Borja, que mora em Belo Horizonte, recebeu um telefonema da polícia paranaense para confirmar se era dele um Fiat Stilo, deixado num hotel da cidade - o carro fora roubado havia 40 dias na capital mineira. Ele confirmou os dados do veículo e foi até Foz para reavê-lo no sábado. Ao chegar a Foz, a surpresa. Os jornais diziam que a polícia havia recuperado o carro do nadador. "Mas o pior ainda estava por vir", disse Borja. Ele foi acusado pela Secretaria de Segurança do Paraná, em nota, de ter fingido ser Borges. A polícia pediu desculpas pela confusão. Borja ainda não sabe se vai processar o Estado. "Parece que eu quis me beneficiar, sendo alguém que não sou."

Gustavo Miranda, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2028 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.