Polícia de Jaboticabal começa a investigar acidente

O delegado do 1º Distrito Policial de Jaboticabal, Tokuiti Tokunaga, começa a investigar nesta segunda-feira o acidente com um ônibus que transportava trabalhadores rurais de Taquaral, na região de Ribeirão Preto. Tokunaga ouve hoje os primeiros depoimentos de testemunhas. O ônibus foi arrastado pelas águas de um córrego. Oito pessoas morreram e quatro mulheres continuavam desaparecidas até a tarde de hoje.Duas das desaparecidas são parentes do motorista do ônibus, Gil Gonçalves Sena, que deve ser indiciado por lesão corporal culposa e homicídio culposo. Sena alega que os freios falharam e ele não conseguiu parar o veículo antes de chegar à ponte. Estão desaparecidas a mulher do motorista e uma de suas irmãs. Ele também perdeu uma outra irmã e um sobrinho no acidente, cujos corpos foram resgatados no sábado.As oito vítimas fatais do acidente foram sepultadas ontem, entre 18 e 19 horas, em Taquaral, onde residiam. O velório aconteceu em um salão ao lado da igreja da cidade, que tem cerca de 3 mil habitantes, e ficou lotada de parentes, amigos e pessoas da região. "A cidade estava cheia de carros de outras cidades", disse um funcionário da funerária.Para conseguir sepultar oito pessoas, o prefeito Petronílio Vilela (PT) teve de participar pessoalmente da organização. "Aqui nunca temos mais que quatro túmulos preparados. Tivemos de organizar tudo rapidamente", disse o prefeito hoje.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2004 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.