Polícia de MG prende dezesseis pessoas acusadas de pedofilia

Dezesseis pessoas foram presas na cidade de Caxambu, no sul de Minas Gerais, acusadas de pedofilia, na noite de terça-feira, 26. Entre os presos estão três ex-vereadores da cidade e a mãe de três vítimas, acusada de facilitar a prática dos crimes. Também fazem parte do grupo detido comerciantes, profissionais autônomos e aposentados. A prisão preventiva dos acusados de prática de crimes sexuais contra menores ocorreu durante uma audiência no fórum de Caxambu, por determinação da Justiça. Eles respondem por crimes como estupro e atentado violento ao pudor, com penas variando de seis a dez anos de prisão.Um inquérito policial foi aberto em fevereiro de 2004, com base na denúncia da existência de um grupo de homens que praticava regularmente sexo com meninas de 12 e 14 anos.O promotor Bergson Cardoso Guimarães acompanhou e se baseou nas investigações para oferecer denúncia. De acordo com a acusação formal, os abusos ocorreram durante cerca de três anos e as vítimas eram exploradas sexualmente mediante pagamento de pequenas quantias, entre R$5 e R$ 20; doação de singelos presentes, como roupas e sandálias; ou, ainda, cestas básicas e "até doces e balas".Durante a prisão, dois homens passaram mal e precisaram ser levados para o hospital da cidade. Quatro presos foram levados para a delegacia de Caxambu. Por falta de vagas, 10 presos foram levados para a cadeia da cidade vizinha de Baependi.O processo corre em segredo de Justiça e está sendo conduzido pelo juiz Carlos Roberto Loiola. Os nomes dos presos não foram divulgados. Até o final da tarde de ontem (27), todos participavam de uma audiência em Caxambu com o juiz e o promotor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.