Polícia de Minas procura acusado de matar a filha de 2 anos

Policiais de quatro Estados - Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e São Paulo -, estão à procura do acusado de matar uma menina de 2 anos, na tarde do último sábado, em um quartode hotel do centro de Belo Horizonte. O autor da morte de Camila Conceição Ribeiro seria seu próprio pai, o porteiro Antônio Leal Ribeiro, de 33 anos. A Polícia Civil abriu inquérito nesta segunda-feira para apurar a morte da criança.Familiares e a polícia acreditam que o pai é o responsável pelo crime. O motivo seria vingança da mãe da menina, a secretária Elaine Daniela Conceição, de 22 anos, de quem se havia separado há dois meses.Em seu depoimento à polícia nesta segunda-feira, a mãe disse que o ex-companheiro era muitoviolento e que, por causa dos inúmeros desentendimentos, estavam separados há doismeses.Mas, desde a separação, quando Elaine e a filha se mudaram para a casa de uma tia, o porteiro insistia em reatar a relação, inclusive com ameaças à mãe e à própria filha."Na semana passada, eu havia concordado em passar o final de semana com ele em companhia da nossa filha", disse a mãe. "Como ele nos tratou bem, concordei em deixá-la com ele novamente neste final de semana, pois me disse que havia alugado um apartamento. Porém, para minha infelicidade, eu não quis acompanhá-los, e ele cometeu essabarbaridade", afirmou.De acordo com o delegado Alexandre Liberal, chefe da Divisão de Crimes contra Vida, as primeiras análises da perícia e do IML não detectaram lesões externas no corpo da garota, e a principal hipótese é que Camila tenha sido envenenada, já que foi constatada a presença de espuma em sua boca.Porém, o resultado do exame toxicológico deve ficar pronto em dez dias. "Estamos aguardando o posicionamento do Instituto Médico Legal para saber a causa da morte de Camila. Mas o principalsuspeito é mesmo seu pai. Estamos fazendo buscas para pegarmos seu depoimento e, se for o caso, pedirmos a sua prisão", informou o delegado.Antônio já esteve preso na Casa de Detenção Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O corpo da menina foi enterrado na tarde deste domingo.No final da tarde desta segunda-feira, um homem procurou uma emissora de TV mineira, dizendo ser o pai de Camila e o autor do assassinato. Durante a ligação, gravada pela TV Alterosa, o homem disse que teria asfixiado Camila com uma toalha e que a morte teria sido provocada pela separação.A mãe da menina foi chamada para ouvir a gravação e reconheceu a voz de Antônio. Após o reconhecimento, a fita foi encaminhada à polícia, que ainda não se pronunciou sobre o fato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.