Polícia de São Paulo fecha fábrica de CDs e DVDs piratas

A polícia desbaratou na tarde desta quarta-feira, 25, um laboratório de reprodução de CDs e DVDs piratas, no bairro de Capão Redondo, na Zona Sul da Capital. No local, foi preso em flagrante o responsável pelas reproduções, José Cícero Souza, 44 anos. Com ele, foram apreendidos quatro computadores capazes de fazer 24 cópias a cada três minutos. Souza não tem passagem pela polícia. O criminoso permanece preso no 1º Distrito Policial (Sé). De acordo com o delegado Fernando Schmidt de Paula, o laboratório ficava nos fundos de uma residência, onde mora a família de Souza. Ele chegou a declarar aos policiais que atualmente está difícil ganhar dinheiro, por isso, teria seguido para trabalhos ilegais. O delegado contou que, no laboratório, na Rua Maria Bouchard, eram feitas 200 cópias por hora, em média. Todos os CDs e DVDs eram vendidos na região da Rua Santa Ifigênia, no Centro da Cidade. A unidade podia ser comercializada a R$ 2 e depois era revendida a R$ 4. Segundo o delegado, a polícia descobriu o laboratório após fazer campana no Centro de São Paulo e prender, na última terça-feira, quatro acusados de integrar uma quadrilha que comercializava cadastros de informações sigilosas, como dados de clientes de uma empresa de telefonia, com nome, RG e CPF, dados de contribuintes com as suas declarações de Imposto de Renda e até cadastros do Detran.Entre os presos, estava um adolescente. As pessoas foram detidas na Rua Santa Ifigênia. Os dados dos CDs podem servir para ações criminosas que vão de seqüestros a golpes bancários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.