Polícia de Sorocaba liberta empresário seqüestrado em SP

A polícia de Sorocaba estourou um cativeiro, no bairro Aparecidinha, zona rural da cidade, e libertou o empresário paulistano José Paulo da Silva, de 48 anos, que estava há nove dias em poder de seqüestradores.Quatro homens haviam sido presos até o início da noite desta segunda-feira. Silva, que é dono da agência de turismo Expressetur e de uma casa de câmbio, foi rendido na noite do dia 21 quando saía de sua loja, no Shopping Aricanduva, zona leste da capital.Seu carro, um automóvel Subaru, foi cercado por quatro ou cinco veículos do qual desceram vários homens armados. Ele foi encapuzado e jogado no porta-malas de um Monza.O empresário contou que os seqüestradores não tiraram o celular que estava em seu bolso. Ele usou o aparelho para informar do seqüestro a esposa, Aida Martinez Silva, e o sócio, Nelson Fraga.Silva foi levado para uma favela na periferia de São Paulo e passou a noite em um buraco, guardado por outros homens armados. Durante toda a noite eles se drogavam.Na manhã seguinte, ainda encapuzado e com mãos e pés amarrados, foi colocado de novo no porta-malas e levado para Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo.Os seqüestradores informaram que já haviam pedido ao sócio Fraga o pagamento de um resgate de US$ 500 mil. O empresário notou que a casa usada como cativeiro não tinha forro e ficava em um lugar deserto.Durante várias vezes foi ameaçado de morte. Quando ofereceu R$ 100 mil para ser libertado, foi agredido com coronhadas. "Achei que iam me matar."A polícia de Sorocaba encontrou o cativeiro quando buscava pistas de um outro seqüestro ocorrido em Salto.Segundo o delegado seccional, Everardo Tangarelli Jr., um dos envolvidos, Cícero Ricardo Gomes, de 34 anos, já tinha passagens por roubo de carros e estava sendo investigado. Quando os policiais invadiram o cativeiro, Cícero estava na companhia de Rosalvo da Rocha Corrêa, de 46 anos. Eles não reagiram.Em seguida foi preso Ilson Verginio Soares, de 45, que chegava ao local. O quarto a ser preso foi o dono da chácara, Virson Verginio Soares, 40 anos, irmão de Ilson.Segundo o delegado, outros três integrantes da quadrilha são de São Paulo e seriam procurados nesta segunda à noite.O empresário passou por exame médico logo após a libertação. Ele estava desidratado. O irmão, João Batista, a esposa, e dois filhos adolescentes do casal foram encontrá-lo em Sorocaba.

Agencia Estado,

29 de outubro de 2001 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.