Polícia de SP descobre esquema para burlar visto para os EUA

Um comerciante produzia um 'kit imigração', falsificando informes de rendimentos, declarações de Imposto de Renda, holerites e outros materiais para serem apresentados ao Consulado dos Estados Unidos

Pedro da Rocha, Central de Notícias

19 de janeiro de 2011 | 18h43

SÃO PAULO - Foi preso na terça-feira, 18, o responsável pela produção de um kit imigração, cuja principal função era a obtenção de visto para entrar nos Estados Unidos. A prisão aconteceu nas proximidades do Consulado Geral dos Estados Unidos, na Chácara Santo Antônio, na zona sul da capital.

 

Os policiais, em conjunto com o Serviço de Segurança Diplomática (DSS) da representação norte-americana, apuravam o esquema havia 60 dias. Quem produzia a documentação era o comerciante Mario Vieira Laselva, de 44 anos. Ele criava informes de rendimentos, declarações de Imposto de Renda, holerites, estratos bancários e outros materiais para serem apresentados durante a entrevista no Consulado Geral dos Estados Unidos. As informações ajudavam na obtenção do visto turista.

 

Cada kit custava mil dólares, aproximadamente R$ 1,7 mil. Mario encontrava com os interessados em Indaiatuba e os acompanhava até a porta da representação diplomática. O esquema foi detectado pelo DSS, que acionou os policiais.

 

A equipe conseguiu flagrar o detido orientando um cliente, o operador de máquinas Sérgio Lino da Costa, de 45 anos. O interessado foi detido ao apresentar a documentação. O comerciante acabou preso na rua Henry Dunant.

 

Costa veio do estado de Minas Gerais para usufruir do esquema. Ele e outros dois interessados pagariam R$ 12 mil pelos vistos de viagem para os Estados Unidos. O operador de máquinas foi autuado por uso de documento falso e Laselva por falsificação de documento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.