Polícia de SP procura homem acusado de matar sete mulheres

Um homem que aparenta ter 34 anos, de cabelos castanhos, com cicatriz no rosto na altura do queixo, gordo e baixo e entra nas casas usando crachá de funcionário de empresas de serviços de água e esgoto, sempre à tarde, é acusado de ter assassinado sete mulheres e tentado matar outras duas em Guarulhos, na Grande São Paulo, nos últimos dez meses. As mulheres foram mortas dentro de casa.Todas acabaram estranguladas com roupas e peças conseguidas na residência: lençóis, blusas, panos de cozinha e uma alça de bolsa. "Temos boas pistas e esperamos identificá-lo e prendê-lo em pouco tempo", diz o delegado João Roque Américo, da Seccional de Guarulhos, que coordena as investigações.As indicações para a elaboração do retrato falado do assassino foram passadas à polícia pelas duas mulheres que sobreviveram aos ataques. Uma delas fingiu que estava morta. A outra foi salva pela chegada do marido, o que fez o bandido fugir.Nos sete assassinatos, o matador levou jóias, dinheiro, aparelhos de vídeo, som e TV. "Estamos com todos os policiais empenhados na captura", afirmou Américo. Segundo o delegado, o assassino obrigou as mulheres a tirar as roupas. Os legistas não constataram violência sexual nas vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.