Polícia desbarata quadrilha de piratas no litoral de SP

A quadrilha de piratas que assaltava os barcos de pesca para roubar equipamentos e pertences dos pescadores foi desbaratada ontem numa grande operação policial que mobilizou as polícias civil e militar do Estado e a Federal. Com mandados de prisão, 90 policiais saíram cedo em busca de 12 suspeitos - 7 deles foram presos - acusados de pelo menos 25 assaltos, a maior parte deles no Guarujá, litoral de São Paulo.Nas investigações, a polícia descobriu que os piratas revendiam os equipamentos roubados para as próprias vítimas, criando um clima de terror entre os pescadores, que não os denunciavam por medo de represálias contra eles e seus familiares. Para chegar à quadrilha, a Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos) determinou em junho atenção especial por parte das várias forças policiais que atuam na região para acabar com esse tipo de crime.A partir daí, todas as informações relativas aos assaltos aos barcos de pesca passaram a ser cruzadas e foram abertos 25 inquéritos. "Houve um número grande de abordagens no Guarujá e em Santos, mas outras cidades também sofreram a ação da quadrilha, como Itanhaém, e acreditamos que esses co-autores praticavam crimes também nos Estados do sul", revelou o delegado seccional de polícia de Santos. João Jorge Guerra Cortez.Ele acredita que a quadrilha tenha outras ramificações. "O inquérito policial ainda não está concluído, as investigações continuam e o trabalho vai resultar na prisão de mais pessoas". Até ontem, a polícia havia aprendido um automóvel Audi, um Ka, US$ 123 e jóias que estavam em poder dos acusados presos e que tiveram a prisão preventiva decretada por cinco dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.