Polícia descobre arsenal usado em chacina

A polícia acredita ter encontrado as armas usadas no assassinato de 13 pessoas, ocorrido no último domingo, num churrasco no Morro do Quitundo, na Vila da Penha, zona norte da cidade. O armamento - 12 fuzis, dois deles das Forças Armadas, três pistolas, uma submetralhadora e uma granada - estava numa casa na subida do morro, a 800 metros do local da chacina. "Pelo menos uma pistola tinha marcas de sangue, e a perícia vai esclarecer se o sangue pertencia a uma das vítimas", disse o subsecretário de Segurança Pública, coronel Lenine de Freitas. A polícia tem outros indícios de que as armas pertenciam aos traficantes que cometeram a chacina: os calibres são compatíveis com os dos projéteis retirados das vítimas, e um fuzil trazia a inscrição ADA em fita adesiva. ADA, ou ?Amigo Dos Amigos?, seria a facção criminosa responsável pelo crime. O líder do grupo é Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, um dos traficantes mais procurados no Rio e que, segundo informações da polícia, participou da chacina. A polícia chegou à casa na Rua Pequiri no início desta tarde. De acordo com o delegado da 38.ª Delegacia de Polícia, Franco Albano, o local foi descoberto pelo serviço de inteligência da Secretaria de Segurança. A casa estava abandonada. "Os traficantes expulsaram a família que morava ali", disse Franco. Além das armas, foram encontrados três mil cartuchos para fuzil e pistolas, uma farda de fuzileiro naval, um quilo de maconha e 1.140 sacolés de cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.