Polícia descobre casa com três seqüestrados em São Paulo

Policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) estouraram neste domingo no Parque Cocaia, zona sul, um cativeiro onde bandidos mantiveram três vítimas de seqüestros. A polícia deteve cinco pessoas, mas conseguiu comprovar o envolvimento nos crimes de apenas três delas - entre as quais uma adolescente de 14 anos. O grupo praticou seqüestros em diversos pontos da região metropolitana.Uma das pessoas que ficaram no cativeiro foi o estudante Henrique José Bertolucci, de 19 anos, libertado na noite de sexta-feira. Ele foi pego na zona leste e passou 23 dias na casa do Parque Cocaia. Outra vítima foi pega na Vila Olímpia e permaneceu dez dias desaparecida, embora a família tenha pago o resgate. A terceira tinha sido seqüestrada em São Bernardo do Campo havia quatro dias.O delegado Antonio Carlos Heib, da 2ª Delegacia Anti-Seqüestro, não quis divulgar nem o nome nem a idade das pessoas libertadas. Ele se limitou a dizer que os dois são de famílias libanesas. Segundo Heib, o cativeiro era uma casa de três quartos, de aparência insuspeita. Os policiais ainda não sabem se o dono do imóvel tem alguma ligação com os crimes, mas revelaram que ele está alugado no nome de uma das pessoas presas hoje.De acordo com o delegado, os seqüestrados foram encontrados algemados. "Foi um momento de felicidade e de pânico porque eles não sabiam que nós éramos policiais." Os agentes da DAS apreenderam no local cinco placas de automóveis, duas de São Paulo e três da Bahia, três algemas e um gorro preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.