Polícia descobre possível cativeiro de Celso Daniel

A polícia deixou, por volta das 19h40 de hoje, o local que teria servido para cativeiro do prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado na semana passada. O local é um ponto comercial fechado há vários meses, na rua Guaicuri, 80, na favela Pantanal, na região de Interlagos, em São Paulo. O local foi descoberto ontem à noite e, entre vários papéis encontrados no local, os policiais do Deic, que comandaram a operação, dizem ter achado um pedaço de correspondência de um plano de saúde, com o nome do prefeito assassinado.De acordo com o delegado Edson Santi, que comandou as operações, há outros indícios de que o local tenha servido como cativeiro para outras vítimas de seqüestro. "Há pouco tempo, foi encontrada uma Blazer verde queimada perto daqui", disse o delegado. "Acreditamos que a quadrilha que utilizava o local é responsável por outros seqüestros ocorridos na capital?. Os vizinhos mantêm a lei do silêncio sobre as pessoas que freqüentavam a sala. Uma das vizinhas, que se identificou apenas como Maria, pois teme represálias, acusou a polícia de ter invadido sua casa e a casa de outros vizinhos em busca de pistas. "Arrobaram a fechadura da porta da minha casa, colocaram arma na boca do meu filho e da minha filha, que ainda está de dieta (teve filho há três meses). Mas nós não sabemos de nada. Eu saio de manhã para trabalhar, volto à noite e procuro nem tomar conhecimento do que ocorre por aqui", disse ela. O suposto local do cativeiro foi vistoriado pela polícia durante todo o dia de hoje e permanece, a partir do início da noite, sem policiamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.