Polícia detém "bonde" de traficantes no Rio

Foi a madrugada do terror. Policiais Militares perseguiram criminosos espalhados em 27 carros e 14 motos por diferentes pontos da cidade. Houve troca de tiros em vias como a Avenida Brasil. Durante o confronto, um sargento da PM foi fuzilado e morreu. Segundo a polícia, o "bonde", como o comboio de traficantes é conhecido na gíria, era comandado por criminosos como Aldair Marlon Duarte, o Aldair da Mangueira, resgatado em outubro da Polinter, quando uma carreta derrubou o muro da carceragem, permitindo a fuga de 14 presos.O traficante foi preso no início da tarde, numa casa em Campo Grande, na zona oeste, junto com Jorge Alexandre Cândido, o Sombra, que cumpria liberdade condicional. Com eles, a polícia encontrou três fuzis, pistolas, granadas e um carro roubado. O "bonde" começou a ser preparado na madrugada de quinta-feira, quando sete carros e uma kombi da Secretaria de Desenvolvimento Social foram roubados em Inhaúma. O serviço reservado da PM obteve a informação de que os veículos haviam sido levados por traficantes do CV para uma invasão ao Conjunto do Quitungo. Para impedir a ação, policiais civis e militares cercaram a área e o comboio de traficantes acabou se dispersando, dando início à perseguição. Houve confrontos em pelo menos quatro pontos da cidade: Avenida Brasil, Viaduto da Perimetral, Linha Amarela e Jacarezinho.O sargento Robson Monteiro Magalhães foi morto num desses embates. Ele patrulhava a região de Benfica e do Caju num carro do 22º Batalhão (Benfica), quando a equipe dele encontrou uma picape S-10 supostamente equipada com uma metralhadora. Na caçamba, havia criminosos vestidos de preto e usando coletes à prova de balas. Houve tiroteio e o sargento foi atingido no rosto. Ele morreu no Hospital Central do Exército. Robson era casado e tinha dois filhos.Depois de balear o sargento, o grupo fugiu pelo Viaduto da Perimetral. Ali, eles roubaram a Fiorino branca do paisagista Cinésio Martinelli Filho. "Eles entraram na frente do meu carro. Queriam socorro porque um deles estava ferido. Dois entraram no banco da frente, mas os outros não conseguiam abrir a porta do bagageiro. Quando conseguiram, eles deram a partida e me deixaram para trás", contou. O carro foi interceptado pela PM pouco depois. O criminoso ferido era Rodrigo Gomes da Silva. Ele foi atingido nos braços e recebeu atendimento médico no Hospital Souza Aguiar. Os outros três foram presos.Ainda foram registrados tiroteios no Jacarezinho, na saída de Bonsucesso da Linha Amarela e na Avenida Brasil, altura do Caju, onde um Honda Civic prata foi abandonado todo destruído, atravessado na pista e pichado com as inscrições CV e ADA (Amigos dos Amigos) em vermelho. Uma Blazer verde supostamente usada pelos traficantes foi encontrada na Leopoldina. Na Favela da Fazendinha, foram encontrados dois Palios e três motos.O caso foi registrado na 17ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão). Cristiano de Souza Siqueira e Edson Bezerra da Silva, que estavam com Rodrigo quando roubaram o carro do paisagista, foram reconhecidos como os homens que dispararam contra o sargento Robson. A delegada Rita Franco, responsável pelo caso, pediu reforços à PM por causa do movimento de carros na Rua São Cristóvão, onde fica a delegacia. Ele temia um resgate.No fim da tarde, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fizeram uma operação na favela Nova Brasília em busca de traficantes que organizaram o bonde. O secretário de Segurança Pública, Josias Quintal, deu ordem de prisão para o cabo Euclemar Ribeiro, do Batalhão de Polícia Rodoviária. Ele é acusado de transportar os traficantes Aldair da Mangueira e Sombra até Campo Grande, onde eles foram presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.