Polícia detém suspeito de matar bebê de 5 meses

A Polícia de Mongaguá deteve na noite de ontem um rapaz de 27 anos, apontado como suspeito de atirar e matar com um tiro na cabeça, na madrugada de sábado, a menina Marcela Cristina Langankde, de apenas 5 meses, durante uma tentativa de assalto, no Balneário Itaoca, onde a família da vítima, que mora na capital, pretendia passar o fim de semana. Segundo o chefe dos investigadores da delegacia-sede de Mongaguá, Paulo César Ferreira, o suspeito, cuja identidade está sendo preservada, foi reconhecido por duas das três testemunhas que presenciaram o crime. "Apesar de não ter sido reconhecido por um dos familiares da vítima, estamos solicitando a prisão temporária do acusado?, disse. Paralelamente às investigações que estão sendo desenvolvidas em Mongaguá, o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), com base na descrição feita pelo pai da menina, o eletricista Marcelo Alexandre Langanke, que foi abordado pelos marginais, vai elaborar o retrato falado do assassino. "Temos pressa em esclarecer este crime, até para dar tranqüilidade à população de Mongaguá e também aos turistas, que costumam visitar a cidade", explicou Ferreira, lembrando que a família da pequena Marcela providenciou ontem a remoção de todos os móveis e utensílios, que se encontravam no interior da casa de veraneio pertencente à família. A venda do imóvel já foi anunciada. Marcelo Alexandre Langanke foi abordado por três marginais, no momento em que tentava abrir o portão da residência de temporada. Antes que esboçasse qualquer reação, um dos ocupantes do carro, com película nos vidros, disparou um revólver, atingindo a criança, que se encontrava no colo da mãe. Os assaltantes fugiram sem nada roubar. A menina acabou morrendo antes de chegar ao hospital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.