GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

Polícia disparou 125 vezes em confronto com Lázaro Barbosa em Goiás

A quantidade de disparos foi relatada no boletim de ocorrência do caso, onde os agentes alegam ter ocorrido uma intensa troca de tiros. Força-tarefa buscava o homem conhecido como 'Seria Killer do DF' havia mais de duas semanas

Shisleny Gomes, Especial para o Estadão

28 de junho de 2021 | 23h00

GOIÂNIA - Os policiais que participaram da captura e da morte de Lázaro Barbosa, conhecido como Serial Killer do Distrito Federal, dispararam 125 vezes durante o confronto com o criminoso em Águas Lindas de Goiás nesta segunda-feira, 28. A quantidade de disparos foi relatada no boletim de ocorrência do caso, onde os agentes alegam ter ocorrido uma intensa troca de tiros, na qual Lázaro teria descarregado munições de uma pistola e de um revólver contra eles.

O documento policial descreve que a equipe se deslocou nas margens de um rio da região em busca de Lázaro nesta segunda-feira. Na versão dos agentes, ao virem o homem saindo da água correndo, eles já começaram a ser alvo de diversos disparos. De um arbusto fechado, os tiros continuaram até que teve início a troca de tiros. 

“Assim que cessado os disparos foi feito a aproximação de forma cautelosa, e já à beira do arbusto foi possível ver um indivíduo e uma mochila. Ao nos aproximarmos mais, foi possível ver duas armas de fogo, uma do tipo pistola, que parou aberta com todas as munições deflagradas, e um revólver calibre 38 com 6 munições deflagradas”, descreveram no boletim. 

Na contagem feita pelos agentes, um major disparou 17 vezes, um sub-tenente disparou 32 vezes, um sargento atirou 17 vezes, um outro sargento, 34 vezes e um terceiro sargento, 25, totalizando os 125 disparos. Os tiros foram efetuados de pistolas dos policiais, além de um fuzil calibre 5.56.

O documento policial não esclarece quantos disparos de fato atingiram Lázaro, o que deve ser apontado por meio de exame do Instituto Médico Legal. Os agentes disseram ter providenciado socorro ao homem ferido, tendo feito o transporte até o Centro de Comando e Controle da Operação. O criminoso foi encontrado com armas, munições, além de R$ 4,4 mil em espécie, remédios e comida. 

Contato com parentes ajudou polícia a localizar Lázaro

 Na noite do domingo, 27, Lázaro havia entrado em contato com parentes, que moram na periferia da cidade. Uma câmera de segurança flagrou o momento em que ele passa pela rua. A partir dessa informação, a força-tarefa saiu em buscas pelo homem, que fugiu para uma mata ao perceber a presença dos policiais.

Lázaro estava a cerca de quatro quilômetros da casa da mãe da ex-companheira, e ameaçou os policiais para que não entrassem no local. 

“Ele não deu nenhum espaço para rendição. Nós sabíamos que ele estava armado. Ele tentou fugir no primeiro cerco e no segundo ele acabou confrontado e veio a óbito”, afirmou o Secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda. 

O chefe da operação disse, durante a entrevista coletiva à imprensa, que o dinheiro apreendido com Lázaro é mais uma prova de que ele tinha uma rede de pessoas que estaria acobertando, para que Lázaro não fosse preso. 

"Esse dinheiro e mais outras pessoas envolvidas estavam tentando preparar a fuga dele do estado de Goiás ou até do país”. A Polícia Civil de Goiás ficará responsável pelas investigações. “Temos oito inquéritos cuja autoria é atribuída a ele [Lázaro]. E que nós sabemos ou entendemos que teve participação de outras pessoas ou a mando ou até na execução. As investigações vão continuar até a gente por um ponto final nessa história”, disse o secretário.

O corpo de Lázaro Barbosa será sepultado em Cocalzinho de Goiás, onde também está enterrado o irmão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.