Polícia divulga três retratos falados de ladrões de quadros

Investigadores também percorreram a Grande SP em busca dos criminosos e solicitaram alerta da Interpol

José Dacauaziliquá, O Estadao de S.Paulo

13 de maio de 2009 | 00h00

A Polícia Civil divulgou ontem os retratos falados de três integrantes da quadrilha que invadiu a mansão de Ilde Maksoud, de 80 anos - ex-mulher do empresário Henri Maksoud - e levou as telas Cangaceiro e Retrato de Maria, de Cândido Portinari, Figura em Azul, de Tarsila do Amaral, e Crucificação de Jesus, de Orlando Teruz. As três primeiras obras estão avaliadas em cerca de de R$ 3,5 milhões."Não acredito que os ladrões estivessem procurando pelos quadros", disse ontem o empresário e colecionador Jorge Yunes. "Essas peças não podem ser comercializadas aqui e no mercado internacional não são as mais valorizadas." Mesmo assim, a Interpol (polícia internacional) foi orientada a redobrar a atenção nos portos e aeroportos. Ainda ontem, os investigadores pegaram uma cópia das imagens registradas pela câmera de um imobiliária que fica próxima à casa de Ilde, na Rua Estados Unidos, no Jardim América, zona sul da capital paulista. Os policiais também receberam denúncias e percorreram a Grande São Paulo atrás dos bandidos. Mas não tiveram sucessos e agora esperam por denúncias pelos telefones 181 e 3331-2200. COLABOROU VALÉRIA FRANÇA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.