Polícia diz que pode implicar Elias Maluco em morte

Mesmo se o corpo do jornalista Tim Lopes não for encontrado, a polícia acredita já ter indícios legais de que ele foi assassinado, e provas suficientes para incriminar na Justiça o traficante Elias Maluco como autor do crime. A informação foi dada pelo delegado de Homicídios Paulo Henrique Pereira Machado, que acompanha as investigações junto à 22ª Delegacia de Polícia. Segundo Machado, a busca pelo corpo do jornalista foi interrompida no alto da favela da Grota, no Complexo do Alemão, por não haver indicações de que haja mais cadáveres enterrados lá. Foram encontrados cinco arcadas dentárias (nenhuma delas do jornalista) e ossos, alguns mais recentes e outros, antigos. "Normalmente nesses casos, os assassinos fragmentam os corpos para evitar sua identificação", explicou Machado. "No caso do Tim Lopes, no entanto, os depoimentos de testemunhas e pertences dele, encontrados no local, já são provas legais do assassinato."Hoje foram presos dois homens, Ângelo Ferreira da Silva, que confessou ter participado da morte de Tim Lopes, e Elizeu Felício de Souza, o Zeu, que, segundo Ângelo, é gerente de um dos pontos de venda de droga no Complexo do Alemão e também teria participado do assassinato do jornalista. No entanto, segundo o delegado Machado, ele se recusou a dar qualquer informação à polícia. Machado disse ainda que Elias Maluco já não deve mais estar no Complexo do Alemão, mas não soube dizer se ele teria deixado a cidade ou se escondido em outras favelas dominadas pelo Comando Vermelho, organização criminosa da qual o traficante faz parte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.