Polícia diz que violência no carnaval de Salvador diminuiu

Apesar do alto número de agressões registrados pela polícia em Salvador neste carnaval (1714 agressões), a delegada da Polícia Civil, Emília Blanco, diz que os índices deste ano foram menores do que os do ano passado."Houve mais registros de ocorrências, o povo procurou mais, associado a um aumento na capacidade tecnológica da polícia e ao crescimento do número de delegacias no circuito. A polícia também tem detido mais pessoas do que nos anos anteriores", afirmou a delegada. Neste carnaval, ocorreram 64 assaltos a ônibus em toda a cidade e mais de 2830 foram conduzidas às delegacias por policias, sendo que 1411 foram detidas e outros 38 autuadas em flagrante delito. Houve 363 atendimentos hospitalares decorrentes da festa que costuma reunir, mais ou menos, dois milhões de pessoas. Foram registrados ainda dois casos de homicídio.Segundo a delegada, em 2006 houve mais agressões e mais homicídios do que neste ano. Estavam circulando 2.200 ônibus, transportando cerca de 1.200.000 pessoas. Foram autuadas nove pessoas por assalto a coletivos. Nos bairros de Salvador, os roubos a coletivos, também conhecidos como arrastões, apresentavam mais de quatro autores, com assalto a passageiros, motorista e cobrador além de depredação.Estão sendo feitas reuniões de avaliação para estudar como melhorar a segurança no carnaval. Para a delegada o número de turistas roubados é bastante reduzido, principalmente o de estrangeiros. "Quando acontece são pequenos furtos", explicou. O número de atendimentos hospitalares caiu em 33% em relação ao ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.