Polícia do Pará procura R$ 550 mil roubados de banco

A polícia do Pará informou neste sábado que ainda não foram recuperados os R$ 550 mil do assalto de ontem a um carro forte de uma agência do Banco do Brasil em Belém. Na ação dois bandidos foram mortos e três se entregaram após manterem, por quase sete horas, quatro reféns dentro de uma loja de celulares, no centro da capital paraense.Segundo as polícias Civil e Militar, o dinheiro pode ter sido repassado a outros bandidos antes de os comparsas envolvidos com o assalto terem sido mortos ou presos. É a primeira vez que a polícia admite a existência de outros três bandidos além dos cinco que participaram do assalto.Presos na Seccional Urbana de São Braz, os assaltantes Valdir Freire, Sebastião Jeová e Valdemir Lisboa admitiram que outros comparsas participaram do assalto ao carro forte. Freire disse que um assaltante conhecido por "Nonatinho" havia fugido com os R$ 550 mil. O secretário de Segurança Pública do Pará, Ivanildo Alves, descarta a ligação desse assalto com o crime organizado, afirmando ter sido uma ação isolada de bandidos. "Seja como for, nós provamos que estamos preparados para enfrentar o banditismo", resumiu.A prisão de três homens em Porto Nacional (TO), quando se preparavam para assaltar uma agência bancária, segundo o secretário, pode ter ligação com os assaltos a dois bancos em Redenção, no sul do Estado. O delegado-geral da Polícia Civil Luís Fernandes, ficou de mandar hoje policiais de Belém ao Tocantins para levar os três acusados para Redenção, onde serão submetidos ao reconhecimento de testemunhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.