Divulgação/Polícia Civil RJ
Divulgação/Polícia Civil RJ

Polícia do Rio indicia Ronnie Lessa por tráfico internacional de armas

Uma filha do PM reformado também foi indiciada; Lessa está preso acusado de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes

Marcio Dolzan/RIO, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2020 | 11h51

RIO - A Polícia Civil do Rio indiciou o policial militar (PM) reformado Ronnie Lessa - que está preso acusado de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes - pelo crime de tráfico internacional de armas. Uma filha de Lessa também foi indiciada.

Segundo o delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), Ronnie Lessa e sua filha traficaram peças de armas da China para serem montadas no Brasil. As transações teriam ocorrido a partir de 2014.

As investigações apontam que o PM reformado comprava as peças no país asiático pela internet. Após, ele encaminhava o material para os Estados Unidos, onde sua filha morava.

Ela, então, ficava responsável por trocar as embalagens originais, colocando em outras com o título "peças de metal" para enganar a fiscalização aeroportuária e facilitar a entrada das peças no Brasil.

Ainda de acordo com o delegado, quando as peças chegavam ao País, Ronnie Lessa montava as armas  e as vendia para narcotraficantes e milicianos.

O Estadão tenta contato com a defesa de Ronnie Lessa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.